Sete desejos – Alceu valença

Sem a letra probleminha técnico.

 

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Pedacinhos do Céu – Waldir Azevedo

Bom dia amigos e amigas que acompanham o blog cidadão. Eu não tenho muito conhecimento em música, e para falar a verdade, não sei tocar nem um instrumento musical, o que torna pra mim, quem sabe tocar, mais genial ainda. Eu conheço de ouvir, quando vejo algo que se encaixa na categoria da boa música, ativa um sensor que não sei explicar como e fico curioso para saber sobre e de quem é aquela música. Eu ouvia este chorinho desde criança, e não sabia de quem era, talvez isto aconteça com vocês também, ter curiosidade de saber quem é “o cara ou a dama” que fez esta obra de arte, então descobri estes dias que se chamava Waldir Azevedo, autor de grandes clássicos como Brasileirinho, Chiquita, Vê se Gosta e Pedacinhos do Céu. Assim fiquem com esta obra de arte, e tenham todos um bom dia.

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

O amor torna tudo novo – Moacyr Franco

Se fui mal ou se fui bom
Hoje não importa mais
Se errei ou acertei
Tudo já ficou prá trás
Aprendi a não ter medo
Desses descaminhos
Dessa solidão
Pouco importa se o mundo
Está ficando velho
Em nosso coração

O amor torna tudo novo
De novo
Tudo certo
Tudo perto
Tudo natural

Sempre que uma flor morrer
Nasce outra em seu lugar
Quando a lágrima cair
O sorriso vai regar
Não existe estrada velha
Nem será rotina
O que você já fez
Se você sentir que ama
Tudo tem o gosto
Da primeira vez

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Eu te desejo – Flavia Wenceslau

Eu te desejo vida, longa vida
Te desejo a sorte de tudo que é bom
De toda alegria, ter a companhia
Colorindo a estrada em seu mais belo tom

Eu te desejo a chuva na varanda
Molhando a roseira pra desabrochar
E dias de sol pra fazer os teus planos
Nas coisas mais simples que se imaginar
E dias de sol pra fazer os teus planos
Nas coisas mais simples que se imaginar

Eu te desejo a paz de uma andorinha
No voo perfeito contemplando o mar
E que a fé movedora de qualquer montanha
Te renove sempre e te faça sonhar

Mas se vier as horas de melancolia
Que a lua tão meiga venha te afagar
E que a mais doce estrela seja tua guia
Como mãe singela a te orientar

Eu te desejo mais que mil amigos
A poesia que todo poeta esperou
Coração de menino cheio de esperança
Voz de pai amigo e olhar de avô

Eu te desejo muito mais que mil amigos
A poesia que todo poeta esperou
Coração de menino cheio de esperança
Voz de pai amigo e olhar de avô

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Mia Gioconda – Agnaldo Rayol

Do dia que nascemos e vivemos para o mundo
Nos falta uma costela que encontramos num segundo
Às vezes muito perto desejamos encontrá-la
No entanto é preciso muito longe ir buscá-la
Vejamos o destino de um pracinha brasileiro
Partindo para a Itália transformou-se num guerreiro
E lá muito distante, despontar o amor sentiu
E disse estas palavras a uma jovem quando a viu

Italiana,
La mia vita oggi sei tu io te voglio tanto bene
Partiremo due insieme
Ti lasciar non posso più
Italiana
Voglio a ti piccola bionda
Ha il viso degli amori
La tue lapri son due fiori
Tu sarai mia Gioconda

Vencido o inimigo que antes fora varonil
Recebeu a FEB ordem de embarcar para o Brasil
Dizia a mesma ordem:
Quem casou não poderá levar consigo a esposa
A esposa ficará
Prometeu então o bravo, ao dar baixa e ser civil
Embarcarás amada, para os céus do meu Brasil
E, enquanto ela esperava lá no cais napolitano
Repetia estas palavras no idioma italiano:

Brasiliano,
La mia vita oggi sei tu
Io te voglio tanto bene
Quiedo a Dio que tu venga
Ti scordar non posso più
Brasiliano,
Sono ancora tua bionda
Mi sposo hai lasciato
Questo cuore abandonato
Che chiamasti di Gioconda
Di Gioconda
Di Gioconda

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

O Relógio – João Cabral de Melo Neto

Ao redor da vida do homem
há certas caixas de vidro,
dentro das quais, como em jaula,
se ouve palpitar um bicho.

Se são jaulas não é certo;
mais perto estão das gaiolas
ao menos, pelo tamanho
e quadradiço de forma.

Umas vezes, tais gaiolas
vão penduradas nos muros;
outras vezes, mais privadas,
vão num bolso, num dos pulsos.

Mas onde esteja: a gaiola
será de pássaro ou pássara:
é alada a palpitação,
a saltação que ela guarda;

e de pássaro cantor,
não pássaro de plumagem:
pois delas se emite um canto
de uma tal continuidade.

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

A noite – Tiê

Palavras não bastam, não dá pra entender
E esse medo que cresce não para
É uma história que se complicou
Eu sei bem o porque

Qual é o peso da culpa
Que eu carrego nos braços
Me entorta as costas me dá um cansaço
A maldade do tempo fez
Eu me afastar de você

E quando chega a noite
E eu não consigo dormir
Meu coração acelera
E eu sozinha aqui
Eu mudo o lado da cama
Eu ligo a televisão
Olhos nos olhos no espelho
E o telefone na mão

O tanto que eu te queria o perto nunca bastava
E essa proximidade não dava
Me perdi no que era real
E no que eu inventei
Reescrevi as memórias
Deixei o cabelo crescer
E te dedico uma linda história confesso
Nem a maldade do tempo consegue
Me afastar de você

Te contei tantos segredos
Que já não eram só meus
Rimas de um velho diário
Que nunca me pertenceu
Entre palavras não ditas
Tantas palavras de amor
Essa paixão é antiga e o tempo nunca passou

E quando chega a noite e eu não consigo dormir
Meu coração acelera e eu sozinha aqui
Eu mudo o lado da cama, eu ligo a televisão
Olhos nos olhos no espelho
E o telefone na minha mão
Na minha mão
Na minha mão.

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário